21 de dez de 2009

Iniciativa 3D&T: Natal - Noel, Deus Menor dos Presentes

Comentários


Em época de Natal, e prometendo os posts de volta, a Iniciativa 3D&T se organiza e fala sobre Natal. O bom e velho Papai Noel sempre é lembrado nessa época, e em Arton não é diferente.

Iniciativa 3D&T: Especial de Natal
Noel, Deus Menor dos Presentes;


Desde os tempos mais primórdios no mundo de Arton, uma vez ao ano é celebrada uma espécie de ‘ritual’ ou ‘celebração’ à um deus menor. O ‘ritual’ consiste em enfeitar-se casas, tavernas, ruas, vielas de vermelho, verde e branco. As ruas ficam mais enfeitadas, as pessoas mais felizes. Noel, o deus menor dos presentes não é muito conhecido pela sociedade, mas o festival, outrora realizado em sua homenagem, agora feito como uma festividade comum, é bastante famoso.

Sempre realizado na época de mais frio do ano, o ritual teve sua origem nas Montanhas Uivantes. Na época em que o frio era mais rigoroso, a maioria dos habitantes se uniam, para que pudessem se aquecer, pois o frio intenso acabava por castigar algumas das crianças que, por serem novas, ainda não eram condicionalmente habituadas ao tempo frio da região. Pensando nisso, um já senhor chamado Noel, resolveu fazer algo para mudar isso tudo. Fazia cobertores, agasalhos e brinquedos para dar as crianças que sofriam com o frio intenso, e na noite mais fria, sorrateiramente entrava nas casas, quando todos já estão à dormir, ele deixa os presentes aos pés da lareira.

Devido à demanda e ao crescimento da população da região, Allihanna, comovida com a história, presenteia Noel, com renas, seres muito semelhantes aos servos, só que capazes de levantar vôo. Noel fabricara um trenó, e agora passava a entregar seus presentes muito mais rápido, e à mais pessoas. Depois de alcançar a velhice, e falecer posteriormente, seus feitos eram venerados por toda região. Khalmyr, por pedido de Lena, concedeu o posto de Deus Menor dos Presentes à Noel, por sua nobre ação.

Rumores e Boatos:

- Uma vez ao ano, Noel assume sua forma de avatar e faz a entrega dos presentes pessoalmente àqueles que mais necessitam.

- Poucas pessoas o viram, mas rumores correm que é um homem grande, barrigudo, de barbas e cabelos brancos, risonho e de humor descomunal.
- Alguns afirmam que seu posto de deus menor fora concebido pelas inúmeras preces recebidas pelas crianças e pais à Noel durante esta época do ano.

Kit Clérigo de Noel (0 ponto)
Papel: Baluarte
Pré-Requisitos: Clericato.

Os clérigos do deus menor dos presentes são comumente chamados de ‘Papai Noel’, e por este nome eles atendem. Costumam usar roupas largas, nas cores vermelho e branco, e uma grande sacola contendo os presentes. Os clérigos de Noel podem ainda servir outra divindade maior, normalmente representada por Lena. Seus poderes só são acessíveis durante uma vez ao ano, na época que ocorrem as festividades.

Poderes Concedidos:

Auspício – O clérigo de Noel consegue saber a índole de uma pessoa alvo para saber se merece ou não ganhar os presentes.

Criar Presentes – Um dos seus principais poderes. Permite ao clérigo criar um presente instantâneamente em suas mãos.

A Sacola Mágica

Os papais Noéis temum item extremamente valioso. Uma bolsa mágica que esconde seu verdadeiro volume. Na verdade, o que parece ser só uma sacola, é uma bolsa com poderes dimensionais ocultos.

Ganchos:

- É normal vermos aventureiros ajudar Papais Noéis a entregar presentes em locais de muita dificuldade de acesso, ou com brigas certas!

- Presentes são dados como recompensa aos aventureiros. Vale lembrar que em sua maioria, os presentes que são ganhos são aqueles que pedimos.

Outras Postagens:
Rodapé do Horizonte - O Dragão Nöel;
Taverna do Beholder Cego - Os Duendes;
Distorções Metafísicas - As renas;
Toca do Goblin - Itens Natalinos / Anti-Noel

Abraços!

[Continuação]

15 de dez de 2009

Os Heróis da Era Moderna! Com ficha de Robert Langdon para 3D&T!

Comentários

Os Heróis da Era Moderna.
Superman, Aquaman, Spiderman. Muitos ‘Mans’ já passaram pelos nossos apurados olhos, seja na televisão, no telão do cinema, nos quadrinhos (época boa!), enfim, sempre se esteve presente no nosso meio comunicativo a presença destes ilustres salvadores de pobres humanos indefesos. Heróis superpoderosos, com poderes inigualáveis e de certa forma, conseguidas de maneira casualmente estranha. Uns adquirem força proveniente de seres alienigênas, outros já nascem com o dom, e outros ainda picados por criaturas que sei-lá-como se tornaram radioativas e que por acaso ganharam superpoderes(a.k.a. SpiderMan).

liga_da_justi_a.png

Com certeza, e sem sombre de dúvidas, já fomos fãs desses ícones fazedores do bem e da justiça. Cada tipo de pessoa, se identificando com seu personagem. “Eu sou o Super-Homem”, “Sou o Lanterna-Verde”, “Pikachu, eu escolho você!”, eram frases comumente ditas pelas crianças, e porque não, dos adolescentes (tirando o ‘Pikachu, eu escolho você!’) também.

Numa época onde as crianças tinham ser somente crianças, era bom ser herói desse jeito. Mas como sempre acontece, os tempos mudam! Os heróis não tem mais superpoderes, mas usam um poder diferente, mas que também pode salvar a humanidade. O pioneiro foi o Batman, que mesmo na época onde Kaléo era soberano na Liga da Justiça, já botou muita marra e muito herói marmanjo no chinelo com suas táticas ousadas de combate e tecnologia. Um herói sem poderes. Um herói humano, como eu e você. São esses os heróis da era moderna. Duvida disso?

Um dos escritores mais famosos da atualidade se chama Dan Brown. Não!

Ele não escreve quadrinhos, mangàs, ou qualquer outra mídia conhecida por mostrar-nos feitos heróicos.

"RobertLangdon-LargeFINAL.jpg"

Escreve histórias mesmo. Seu personagem principal, Robert Langdon, é um ícone heróico dos tempos modernos. Não que ele tenha poderes, mas seus conhecimentos, somados à inteligência, mais o raciocínio rápido, fazem dele um herói incomum. Já salvou o mundo de duas grandes ameaças, por meio de sociedades supersecretas. Quem nunca ouviu falar de Código da Vinci, com grandes mistérios e intrigas loucas. Ou ainda Anjos e Demônios, com toda a saga de “Onde será o próximo assassinato?” à lá Sherlock Holmes (por falar nisso, vem filme dele por aí!), um duelo de sabedoria e inteligência contra os Illuminati. E ainda em seu mais novo livro, que em breve farei um resenha (só tenho que terminar antes), O Símbolo Perdido, em que Robert tem de desvandar as intenções de um louco maçônico, que quer desvendar os segredos escondidos na capital Washington. Mistérios, mistérios, mistérios. São heróis com um estilo de vida intrigantes. As histórias começa como quem não quer nada, e logo após é aquele jogo de vida ou morte.

Enfim, reconhecemos que os novos heróis valorizam muito mais o pensamento, do que a força bruta. Isso também é refletido nos nossos novos jogadores. Tenho duas mesas constantes de RPG, uma com o grupo que joga comigo a bastante tempo, desde o começo, outra com um pessoal mais novo, uns recém-chegados, que conheceram o jogo e não largam mais. E o mais divertido, é que, alguns deles, pensam bastante durante a criação do personagem. Não saem mais ‘preenchendo as bolinhas’, olham as perícias, analisam o cenário, e decidem e que vão precisar usar mais frequentemente. Fiquei de boca aberta. Nem eu na minha época de novato fazia isso! (Risos).

"infan3.jpg"

Bom ver que temos bons reflexos com os jogadores desta nova era. Esperamos que possam conduzir o futuro do RPG de forma segura, e correta. Nada de RPG 2.0. RPG deve ter raiz.

E pra não perder a linha rpgística do Grimório do Arcano, aí vai a ficha do personagem principal do texto.:


Robert Langdon

Robert Langdon (nascido em 22 de junho de 1956 em Exeter, New Hampshire, Estados Unidos) é descrito como um Harrison Ford em "tecido de lã". Ele era um mergulhador na Universidade de Phillips Exeter, e jogou também polo aquático, na Escola Preparatória. Ele sofre de claustrofobia, o medo de espaços fechados, como ele caiu em um poço quando tinha 7 anos de idade. Conhecido por um problema de resolução de mente brilhante, ele tem uma memória eidética e um conhecimento enciclopédico de semiótica. Professor da Universidade de Harvard, ele ensina Iconografia Religiosa e Simbologia.

Características
Força: 1 – Langdon pratica natação, e isso lhe rende alguns músculos
Habilidade: 2 – Por praticar Pólo Aquático, tem reflexos apurados.
Resistência: 1 – Pra um humano comum, até que ele sobrevive bem.
Armadura: 0 – E se machuca bem também.
Poder de Fogo: 0 – Bem, em seus livros ele nunca arremessou nada!

Vantagens
Boa Fama – Mundialmente famoso por suas palestras, é bem reconhecido pelos mais renomados.
Investigação/Ciências/Medicina – O cara é sinistro, ‘meu’!

Desvantagens
Código dos Cavalheiros – Joga charme pra qualquer rabo de saia.
Insano Compulsivo – Robert Langdon não consegue ficar longe de estudos, e não recusará convites, mesmo que possa parecer uma silada.

Observações:
Robert Langdon age sempre compulsivamente, mas sob a pressão do perigo é que ele se mostra um grande pensador.



Habilidade Extra: Experiência nos Estudos.
Uma vez por dia, devido a sua grande experiência com estudos. Pode ter um sucesso em um teste de Perícia, independente de sua dificuldade.

Um abraço à todos!

[Continuação]

12 de dez de 2009

Comprovado! RPG dá Saudade!

Comentários

Volta!


Uma manhã ensolarada de sábado aqui no Rio de Janeiro, depois de uma semana de fortes chuvas (pêsames as vítimas de enchentes e alagamentos), nada como olhar pro céu e dizer: 'Tá faltando alguma coisa?'. Há muito tempo não tenho escrito por aqui, o trabalho cada vez mais 'pressionante', a faculdade então, nem se fale. E o tempo para o RPG acabou sendo menos ainda. Estava eu com toda aquela gama de pensamentos: regras, aventuras, personagens novos, lugares novos, e não conseguia colocar para fora da cabeça. Então. Eis que surgem as férias, e com elas, o retorno das postagens sobre RPG.

Enquanto o Marlon 'Armageddon' Teske não conserta o Inominattus (como se ele fosse o cara responsável pelo Trimestre Negro de 2009), continuarei a postar por aqui as minhas não grandiosas idéias, mas que às vezes agradam um ao outro.

Enfim, RPG deixa marcas. É como se fosse um pedaço do quebra-cabeça da nossa mente. Jogando exercitamos a criatividade contida nas nossas mentes, e creiam, segurar essa criatividade sem usá-la faz mal. "Exercite a Mente, Jogue RPG".

Anuncio aos 3D&Tistas que retornarei com os atuais projetos. E em breve, uma surpresa!

Um abraço a todos os 2d6 leitores, e os 50 paraquedistas diários que caem por aqui! Volto Logo (Risos!).



[Continuação]

Leitores

 

Teste!. Copyright 2009 Todos os Direitos Reservados -Tema Revolution Two Church- Créditos à Brian Gardner - Covertido para Blogger Template por Bloganol
BOM É JOGAR RPG!