2 de abr de 2009

Guerras em Campanha – Parte 03



Estratégia Militar.
Lutar usando Inteligência.
O Conceito de Estratégia, do inglês, Strategy; do latim, Strategia; do Espanhol, Stra...Tá bom! Eu paro com isso. Mas trago a vocês na terceira parte de “Guerras em Campanha” uma dica útil e que sempre está presente nas guerras. A Estratégia. Com ela, vencem os que têm inteligência e lógica mais apuradas.


Estratégia Militar é uma designação abrangente para o planejamento de atuação em uma guerra. Deriva do grego strategos, a estratégia era vista como a arte do general. A estratégia militar lida com o planejamento e condução de campanhas, o movimento e divisão de forças, e a burla do inimigo. O pai do estudo moderno da estratégia , Carl von Clausewitz, define estratégia militar como o emprego de batalhas para obter o fim da Guerra. Portanto, ele deu a preeminência de objetivos políticos em relação a conquistas militares, garantindo controle civil sobre os militares. Estratégias militares se baseiam em um tripé: a preparação das táticas militares, a aplicação dos planos no campo de batalha e a logística envolvida na manutenção do exercito.


Assim então vemos que o general, ou qualquer comandante do exército em guerra é o detentor do controle que move as peças do tabuleiro. Todo o sucesso de uma batalha estará nas mãos daquele pensador e seu estratagema de batalha.

Tudo é pensado nos mínimos detalhes, assim como num jogo de xadrez, o General deve pensar “rodadas” antes os próximos passos do inimigo. Isso é fundamental para o sucesso do combate.Agir diferente às vezes é arriscado, mas um homem não evolui enquanto não tiver arriscado.

Em um combate, os jogadores raramente assumem esse papel de extrema responsabilidade, geralmente por dois motivos:

  1. Preferem não tomar responsabilidade de todo um exército. Fazem a sua parte em combate;
  2. Preferem bater à pensar.

Logo se vê que caberá ao mestre interpretar o chefão que está sempre a frente.

Existem também algumas estratégias de combate pré-definidas, e sobre essas falarei agora.

A Primeira Tática de Guerra: O Cerco.

O Cerco consiste em cercar os inimigos ou uma edificação para que possam obter mais vantagens em combate, pois os adversários se tornam acuados.

Um exemplo de Cerco fora o dos gregos sobre os Troianos, que resistiram até as últimas forças, e somente sucumbiram pois a Operação Cavalo de Tróia fora um grande sucesso. Uma estratégia desigual.

Outro exemplo se passa no filme O Senhor dos Anéis, onde dez mil orcs se reúnem para combater Gondor. O então chamado Cerco de Gondor acabou falhando pelo ataque de retaguarda causado por tropas de reforços dobre os Orcs.

Para semana que vem, Circunvalação, Emboscada e Manobras de Flanco.

Abraços do Arcano.


Leitores

 

Teste!. Copyright 2009 Todos os Direitos Reservados -Tema Revolution Two Church- Créditos à Brian Gardner - Covertido para Blogger Template por Bloganol
BOM É JOGAR RPG!